CAPACIDADE FUNCIONAL ENTRE ADULTOS PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO E SEDENTÁRIOS

Autores

  • Caio Cesar da SILVA
  • Letícia Amorim NUNES
  • Lucas Lima FERREIRA

Resumo

Introdução: A capacidade funcional (CF) é considerada a habilidade do indivíduo em realizar atividades instrumentais do seu cotidiano, garantindo sua autonomia. Quando esta capacidade está prejudicada ou limitada, a qualidade de vida (QV) também é afetada. Objetivo: Comparar a CF de adultos praticantes de treinamento resistido com adultos sedentários. Métodos: Estudo observacional analítico, realizado com alunos das academias Metamorfosse Fitnes®, Potirendaba, SP e 77 Fit Colab Academy®, Mirassol, SP e da União das Faculdades dos Grandes Lagos (UNILAGO). Por meio de um questionário disponibilizado em plataforma online foram obtidas características sociodemográficas: sexo e idade, o grau de escolaridade; dados antropométricos como peso, a estatura e o índice de massa corporal (IMC), o nível e o tipo de atividade física nos últimos seis meses. Foi aplicada a questão número três do questionário de QV Short-Form (SF-36), referente ao domínio CF. Foram utilizados teste t não pareado e teste exato de Fisher para comparar as variáveis entre os grupos treinamento resistido (GTR) e grupo sedentário (GS). O nível de significância foi p≤0,05. Resultados: Foram incluídos 46 participantes, 57% (n=26) no GS e 43% (n=20) no GTR. Verificou-se predomínio do sexo feminino em ambos os grupos, GTR (75%) e GS (65%), ensino superior incompleto em ambos os grupos, GTR (55%) e GS (50%), além disso, o GTR apresentou média de IMC significativamente menor (p=0,01) que o GS. O GTR apresentou escore significativamente maior (p=0,0065) que o GS para a CF. Conclusão: No presente estudo, adultos praticantes de treinamento físico resistido regularmente apresentaram melhores escores de capacidade funcional que adultos sedentários.

Publicado

2021-05-06

Edição

Seção

Artigos