MAPEAMENTO E ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DOS TIPOS DE MAL FORMAÇÕES CONGÊNITAS EM HOSPITAL DE ENSINO

Autores

  • Jaynne Leal DE PAULA
  • Ricardo Alexandre NEVES
  • Vinícius Henrique Ferreira MONTEIRO

Resumo

Introdução: A Organização Mundial da Saúde (OMS), define como malformação congênita, todas as anomalias desencadeadas pela alteração do desenvolvimento normal resultando em um formação deficiente a partir estágio inicial do feto ainda em intra-uterino, seja ela estrutural ou funcional, esses distúrbios podem ser visualizados no pré-natal, no parto, ou até mesmo manifestado na infância. Temos como malformações congênitas as do sistema nervoso, cardíaco, osteomuscular, digestivo, anomalias cromossômicas ou genéticas, fenda labial e palatina, do aparelho circulatório, do respiratório, do urinário e geniturinário, hemangiomas e linfangiomas. Objetivo: Mapear os tipos de malformações congênitas em crianças em um Hospital no Interior do Estado de São Paulo. Métodos: Após aprovação ética foram realizadas coletas de dados do sistema informatizado referente à atendimentos de crianças com malformações congênitas em nível ambulatorial ou internação no Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto (SP). Resultados: Foram identificados 30.309 crianças com Malformações Congênitas atendidos em consulta ou internações dos gêneros masculino e feminino (16.956 masculinos ou 54,75% e 13.713 femininos ou 45,25%) com idade entre 1 dia e 12 anos (19.587 de 0 a 4 anos ou 64,63%; 5.780 de 5 a 8 anos ou 19,07% e 4.942 de 9 a 12 anos ou 16,30%). Os principais tipos de Malformações Congênitas foram encontrados: Cardíacas e circulatórias ou 42,32%; Medula Espinhal ou 12,34%; Pé torto congênito ou 11,07%; Genitais masculino e feminino e Aparelhos Urinários ou 8,97% que somam 74,70% e as demais Malformações Congênitas 25,30%. Conclusões: Malformações congênitas são anomalias raras, em sua maioria associam-se ao sexo masculino, idade precoce e com predominância de alterações cardíacas e circulatórias. O mapeamento dessas Malformações pode contribuir para melhorias do setor específico hospitalar e investimento de tecnologia em equipamentos e treinamento profissional de procedimentos e técnicas cirúrgicas.

Publicado

2021-05-06

Edição

Seção

Artigos